Leia o TEXTO 02 e responda à questão 2.

TEXTO 02

INFÂNCIA

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.

Minha mãe ficava sentada cosendo.

Meu irmão pequeno dormia.

Eu sozinho menino entre mangueiras

lia a história de Robinson Crusoé,

comprida história que não acaba mais.

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu

chamava para o café.

Café preto que nem a preta velha

café gostoso

café bom.

Minha mãe ficava sentada cosendo

olhando para mim:

– Psiu... Não acorde o menino.

Para o berço onde pousou um mosquito.

E dava um suspiro... que fundo!

Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.

E eu não sabia que minha história

era mais bonita que a de Robinson Crusoé.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Infância. Antologia poética. 59ª ed., Rio de Janeiro: Record, 2007.)

Para uma leitura mais produtiva de um texto, faz-se necessária a análise dos elementos que

concorrem para sua construção e sentido. Partindo dessa ideia, analise as proposições a seguir

acerca do poema de Drummond.

I. Em “Meu pai montava a cavalo, ia para o campo", os verbos “montava" e “ia"

caracterizam a figura do pai como provedora.

II. Na contramão do tempo verbal pretérito imperfeito que apresenta a figura paterna como

provedora e sempre em movimento, a figura materna é apresentada de forma estática,

ratificada pelas expressões “ficava sentada" e “cosendo", denotando ausência de esforço

físico e de aventura.

III. Além da estrutura verbal, que contribui para a construção das lembranças, a escolha dos

substantivos (pai, cavalo, campo, mãe, irmão, mangueiras, história, Robinson Crusoé,

senzala, café, preta velha, berço, suspiro, mato, fazenda) diz muito da significação do tema.

IV. Na segunda estrofe, as ações apresentadas pelos verbos “aprendeu" e “esqueceu", no

pretérito perfeito do indicativo, assinalam algo que passou, que não durou.

V. O emprego dos advérbios “lá" e “longe", juntos, remete à idéia de distância. Essa pode ser

uma referência tanto à impossibilidade de o menino enxergar nitidamente o pai, devido à

extensão da fazenda, quanto à transição temporal: o menino abandona o passado e retorna

ao presente, já como homem.

Estão CORRETAS

Date: 02/06/2018

Aos não assinantes Alternativa E

Date: 02/06/2018

Como na alternativa iv pode ser algo que passou, não durou se aprendeu e NUNCA esqueceu. Ou seja durou muito a aprendizagem.

Date: 02/06/2018

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu

chamava para o café.

Como pode ser a letra E se pelo que dá a entender foi um aprendizado que durou muito tempo?

Na segunda opção está escrito que a figura materna é apresentada como estática com ausência de esforço físico, no entanto a mãe está cosendo, ou seja, costurando, verbo que indica ação .

Date: 02/06/2018

Acabei errando também a questão pelo mesmo motivo, ou seja, pensando friamente, mas se analisarmos a questão:

II. Na contramão do tempo verbal pretérito imperfeito que apresenta a figura paterna como

provedora e sempre em movimento, a figura materna é apresentada de forma estática,

ratificada pelas expressões "ficava sentada" e "cosendo", denotando ausência de esforço

físico e de aventura.


Veremos no enunciado as palavras "na contramão do tempo verbal", ou seja, mesmo que o tempo exprima alguma ação que já ocorreu a apresentação da figura materna é feita de forma estática, como se apenas o pai fizesse alguma coisa.

Date: 02/06/2018

a opção IV não existe a possibilidade de estar correta,mesmo apresentando verbos no passado não indica algo que tenha passado e não durou

Date: 02/06/2018

Segundo consta no site do concurso, o gabarito trocou para a letra A.

Corretas: I, II e V, apenas.

III. Além da estrutura verbal, que contribui para a construção das lembranças, a escolha dos substantivos (pai, cavalo, campo, mãe, irmão, mangueiras, história, Robinson Crusoé, senzala, café, preta velha, berço, suspiro, mato, fazenda) diz muito da significação do tema. - Errado, pois o que confirma o tema "lembranças da infância" são os verbos no pretérito.

IV. Na segunda estrofe, as ações apresentadas pelos verbos "aprendeu" e "esqueceu", no pretérito perfeito do indicativo, assinalam algo que passou, que não durou. - Errado, pois na própria frase a confirmação que permaneceu: "No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu chamava para o café.".

(comentários qconcursos)

Eu ainda discordo considerar a II como correta, vou continuar procurando alguma explicação para entender melhor essa questão.

Date: 02/06/2018

Obrigado Luiza. Eu ainda pensei na possibilidade de não estar correta a I pois o que caracteriza como provedor é:

Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.

Só montar e sair a cavalo não caracteriza. E quanto a mulher estar sem fazer nada enquanto na realidade ela estava cuidando do bebê e cosendo, mostra machismo, desvalorização do trabalho doméstico e maternidade.

Date: 02/06/2018

Com essa questão aprendi que trabalho sentado não há esforço...