O Questões Grátis disponibiliza mais de 600 MIL questões, de forma GRATUITA e SEM LIMITAÇÕES.

Instale o App Questões Grátis e estude melhor! No App você pode salvar os filtros, gerar estatísticas, e muito mais. Os botões para baixar o App se encontram no topo do site.

Logo abaixo você encontra milhares de questões. Para refinar sua busca, aplique os filtros desejados (buscar por disciplina, banca, cargo, ano...). Caso deseje excluir os filtros, clique em “Limpar Filtro”.

Para estudar, aplique os FILTROS abaixo:

Na análise tipológica dos documentos de arquivos, não é suficiente, para o arquivista, conhecer a estrutura da espécie documental. É necessário relembrar os princípios fundamentais que regem a organização dos arquivos.

Esses princípios que constituem o marco principal da arquivística são:

Date: 29/05/2018

resposta correta letra C .Lembrando que integridade também pode ser chamada de indivisibilidade.

Date: 29/05/2018

Falou em princípios só podem ser um desses abaixo:

- Respeito aos Fundos ou Proveniência;
- Indivisibilidade;
- Integridade;
- Organicidade;
- Unicidade; e
- Naturalidade ou Cumulatividade

Date: 29/05/2018

Respeito aos Fundos ou Proveniência;

Indivisibilidade;

Integridade;

Organicidade;

Unicidade; e

Naturalidade ou Cumulatividade

Um arquivista de uma instituição pública é escalado para quantificar os documentos acumulados do Departamento de Meio Ambiente, pois planeja-se reservar espaço para a ampliação do arquivo de segunda idade. O arquivista encontra, em uma das salas, uma pilha de documentos com as seguintes dimensões: largura da pilha = 1,0 metro; altura da pilha = 0,5 metro e comprimento da pilha = 1,5 metro.

Após cálculo, utilizando o referencial para a documentação escrita, ou seja, o metro linear, o arquivista conclui que a medida da pilha de documentos, em metros lineares, é de

Date: 29/05/2018

Pessoal, Segundo o "Roteiro para Mensuração de Documentos Textuais" o calculo é fácil, vejam a seguir:


Documentos empacotados, amontoados ou em caixas de diversos
tamanhos, fora de estantes.
Para a documentação empacotada, amarrada ou amontoada utilizar-se-á a metragem cúbica, ou seja: comprimento X altura X largura das pilhas de documentos. Para conversão em metros lineares, multiplique o resultado obtido em m³ por 12.
Exemplos:
Documentos empacotados, amontoados ou em caixas de diversos tamanhos, fora de estantes.
- medir o comprimento, a altura e a largura de cada pacote, amontoado ou caixa. Multiplicar as medidas, para obter a metragem cúbica;
- converter o resultado encontrado multiplicando o resultado encontrado em m³ por 12.
1,00 m X 0,50 m X 1, 50 m= 0,75 m³
0,75 m³ X 12= 9 metros lineares

O arquivista de uma empresa pública orienta a sua equipe para o recolhimento da massa documental dessa empresa que cessou as suas atividades. Toda a equipe sabe que sua documentação deverá ser transferida a uma outra instituição, de acordo com a legislação vigente.

Esse recolhimento, que deve ser sistemático, é efetivado para uma instituição arquivística

Date: 29/05/2018

uma empresa publica deve recolher a massa documental que cessou as atividades para uma instituição arquivística publica.

Date: 29/05/2018

uma empresa publica deve recolher a massa documental que cessou as atividades para uma instituição arquivística publica.

[...] nenhuma atividade que vise à transferência da informação, nos arquivos, deve ser iniciada sem que se pense antes num exato quadro de arranjo.

Bellotto, H.L. Arquivos permanentes. Tratamento documental. Rio de Janeiro, FGV, 2004. p. 140.

Nesse sentido, o quadro de arranjo inicia-se sempre a partir do

Date: 29/05/2018

Arranjo diz respeito à fase permanente, representando a estrutura orgânica da entidade.

Um arquivista tem que ter conhecimento de conservação preventiva de documentos e saber que um dos objetivos da preservação de documentos, em suporte papel, é retardar a formação de ácidos. Muitas vezes, lava-se o papel para remover os resíduos químicos danosos decorrentes da sua própria constituição.

Esse processo é chamado desacidificação, que tem como resultado um papel alcalino ou

Date: 29/05/2018

Desacidificação é um processo químico que visa tirar a acidez do papel. O resultado final, dependendo do estágio inicial do suporte, será um papel com Ph elevado, neutro ou com uma pequena reserva alcalina, proporcionando um maior tempo de vida. Por isso, esse novo papel dá-se o nome de papel alcalino ou tamponado. 

 

Logo, resposta letra: A

A descrição arquivística denominada multinível implica grande trabalho com o acervo por parte dos arquivistas, levando o usuário a ter acesso aos vários campos e subcampos da informação pesquisada.

Assim, cada nível do arranjo corresponde a um nível de descrição da seguinte forma:

Date: 29/05/2018

Renato Valentini(Arquivologia para concurso)
A organização de ARQUIVOS PERMANENTES, significa ordenar os documentos em fundos, as séries dentro dos fundos, e, se for conveniente, os itens dentro das séries.
Quadro de arranjo: FUNDOS, GRUPO OU SEÇÃO, SUBGRUPO OU SUBSEÇAO, SÉRIE E SUBSÉRIE.

Um Sistema Informatizado de Gestão Arquivística de Documentos tem de impedir que um documento sigiloso seja eliminado, sendo que os documentos sigilosos para serem submetidos ao processo de avaliação e receberem a devida destinação têm de se tornar

Date: 29/05/2018

Pergunta mal elaborada, confusa e sem sentido.

Todo documento sigiloso do grau ultra-secreto é permanente, então como ele vai ser desclassificado (tornar-se ostensivo) para ser avaliado????

Date: 29/05/2018

a) correta
QUANTO A NATUREZA DO ASSUNTO - Os documentos podem ser ostensivos ou sigilosos. A classificação de ostensivo ou ordinário é dada aos documentos cuja divulgação não prejudica a administração.

Date: 29/05/2018

não faça tempestade,Schutz-SC! ;/

A partir da massa documental acumulada é possível efetivar o arranjo da documentação. Muitas vezes, o arquivista estabelece o arranjo com base no organograma da instituição, como apresentado abaixo.

Imagem 001.jpg

Diante desse organograma, que tipo de arranjo o arquivista deve projetar?

Date: 29/05/2018

No livro da Marilene Paes, ela fala sobre 2 critérios para a escolha dos fundos, são eles:

1 Estrutural: constituído dos documentos provenientes de uma mesma fonte geradora de arquivos.

2 Funcional; constituído dos documentos provenientes de mais de uma fonte geradora de arquivos., reunidos pela semelhança de suas atividades, mantido, porém, o princípio da proveniência.

No caso dessa questão, como se trata apenas de uma mesma fonte geradora, os documentos serão arranjados num mesmo fundo.

Observem que o critério Estrutural para a escolha do fundo condiz com a definição do princípio da proveniências, no qual diz:

"Devem ser mantidos reunidos num mesmo fundo, todos os documentos provenientes de uma mesma fonte geradora de arquivo.

Assim, podemos matar questões desse tipo pensando da seguinte forma:

Mesma fonte geradora? = Princípio da proveniência + Critério Estrutural para organização do fundo.

Mais de uma fonte geradora? = Critério Funcional

Bons estudos!

comentário: Andson Oliveira (qconcursos)

A microfilmagem de documentos particulares e oficiais de instituições federais, estaduais e municipais é autorizada em todo o território nacional por meio da Lei no 5.433 de 08/05/1968.

Todo arquivista que atua em centros micrográficos deve saber que o reconhecimento de firma de autoridades que autenticarem os documentos oficiais arquivados é

Date: 29/05/2018

Lei 5433/68

Art 4º É dispensável o reconhecimento da firma da autoridade que autenticar os documentos oficiais arquivados, para efeito de microfilmagem e os traslados e certidões originais de microfilmes.

Date: 29/05/2018

LEI Nº 5.433, DE 8 DE MAIO DE 1968.


Art 1º É autorizada, em todo o território nacional, a microfilmagem de documentos particulares e oficiais arquivados, êstes de órgãos federais, estaduais e municipais.

§ 1º Os microfilmes de que trata esta Lei, assim como as certidões, os traslados e as cópias fotográficas obtidas diretamente dos filmes produzirão os mesmos efeitos legais dos documentos originais em juízo ou fora dêle.

§ 2º Os documentos microfilmados poderão, a critério da autoridade competente, ser eliminados por incineração, destruição mecânica ou por outro processo adequado que assegure a sua desintegração.

§ 3º A incineração dos documentos microfilmados ou sua transferência para outro local far-se-á mediante lavratura de têrmo, por autoridade competente, em livro próprio.

§ 4º Os filmes negativos resultantes de microfilmagem ficarão arquivados na repartição detentora do arquivo, vedada sua saída sob qualquer pretexto.

§ 5º A eliminação ou transferência para outro local dos documentos microfilmados far-se-á mediante lavratura de têrmo em livro próprio pela autoridade competente.

§ 6º Os originais dos documentos ainda em trânsito, microfilmados não poderão ser eliminados antes de seu arquivamento.

§ 7º Quando houver conveniência, ou por medida de segurança, poderão excepcionalmente ser microfilmados documentos ainda não arquivados, desde que autorizados por autoridade competente.

Art 2º Os documentos de valor histórico não deverão ser eliminados, podendo ser arquivados em local diverso da repartição detentora dos mesmos.

Art 3º O Poder Executivo regulamentará, no prazo de 90 (noventa) dias, a presente Lei, indicando as autoridades competentes, nas esferas federais, estaduais e municipais para a autenticação de traslados e certidões originárias de microfilmagem de documentos oficiais.

§ 1º O decreto de regulamentação determinará, igualmente, quais os cartórios e órgãos públicos capacitados para efetuarem a microfilmagem de documentos particulares, bem como os requisitos que a microfilmagem realizada por aquêles cartórios e órgãos públicos devem preencher para serem autenticados, a fim de produzirem efeitos jurídicos, em juízo ou fora dêle, quer os microfilmes, quer os seus traslados e certidões originárias.

§ 2º Prescreverá também o decreto as condições que os cartórios competentes terão de cumprir para a autenticação de microfilmes realizados por particulares, para produzir efeitos jurídicos contra terceiros.

Art 4º É dispensável o reconhecimento da firma da autoridade que autenticar os documentos oficiais arquivados, para efeito de microfilmagem e os traslados e certidões originais de microfilmes.

Art 5º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art 6º Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, 8 de maio de 1968; 147º da Independência e 80º da República.


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5433.ht...


De acordo com a legislação atual, as informações que puderem colocar em risco a segurança do Presidente e do Vice-Presidente da República, e de seus respectivos cônjuges e filhos, são classificadas como reservadas e ficarão sob sigilo até o

Date: 29/05/2018

Art. 24.  A informação em poder dos órgãos e entidades públicas, observado o seu teor e em razão de sua imprescindibilidade à segurança da sociedade ou do Estado, poderá ser classificada como ultrassecreta, secreta ou reservada. 

§ 1o  Os prazos máximos de restrição de acesso à informação, conforme a classificação prevista no caput, vigoram a partir da data de sua produção e são os seguintes: 

I - ultrassecreta: 25 (vinte e cinco) anos; 

II - secreta: 15 (quinze) anos; e 

III - reservada: 5 (cinco) anos. 

§ 2o  As informações que puderem colocar em risco a segurança do Presidente e Vice-Presidente da República e respectivos cônjuges e filhos(as) serão classificadas como reservadas e ficarão sob sigilo até o término do mandato em exercício ou do último mandato, em caso de reeleição. 

Date: 29/05/2018

§ 2o As informações que puderem colocar em risco a segurança do Presidente e Vice-Presidente da República e respectivos cônjuges e filhos(as) serão classificadas como reservadas e ficarão sob sigilo até o término do mandato em exercício ou do último mandato, em caso de reeleição.

Date: 29/05/2018

§ 2o As informações que puderem colocar em risco a segurança do Presidente e Vice-Presidente da República e respectivos cônjuges e filhos(as) serão classificadas como reservadas e ficarão sob sigilo até o término do mandato em exercício ou do último mandato, em caso de reeleição.

Date: 29/05/2018

Art. 24. A informação em poder dos órgãos e entidades públicas, observado o seu teor e em razão de sua imprescindibilidade à segurança da sociedade ou do Estado, poderá ser classificada como ultrassecreta, secreta ou reservada.

§ 1o Os prazos máximos de restrição de acesso à informação, conforme a classificação prevista no caput, vigoram a partir da data de sua produção e são os seguintes:

I - ultrassecreta: 25 (vinte e cinco) anos;

II - secreta: 15 (quinze) anos; e

III - reservada: 5 (cinco) anos.

§ 2o As informações que puderem colocar em risco a segurança do Presidente e Vice-Presidente da República e respectivos cônjuges e filhos(as) serão classificadas como reservadas e ficarão sob sigilo até o término do mandato em exercício ou do último mandato, em caso de reeleição.

§ 3o Alternativamente aos prazos previstos no § 1o, poderá ser estabelecida como termo final de restrição de acesso a ocorrência de determinado evento, desde que este ocorra antes do transcurso do prazo máximo de classificação.

§ 4o Transcorrido o prazo de classificação ou consumado o evento que defina o seu termo final, a informação tornar-se-á, automaticamente, de acesso público.

§ 5o Para a classificação da informação em determinado grau de sigilo, deverá ser observado o interesse público da informação e utilizado o critério menos restritivo possível, considerados:

I - a gravidade do risco ou dano à segurança da sociedade e do Estado; e

II - o prazo máximo de restrição de acesso ou o evento que defina seu termo final.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014...