O Questões Grátis disponibiliza mais de 600 MIL questões, de forma GRATUITA e SEM LIMITAÇÕES.

Instale o App Questões Grátis e estude melhor! No App você pode salvar os filtros, gerar estatísticas, e muito mais. Os botões para baixar o App se encontram no topo do site.

Logo abaixo você encontra milhares de questões. Para refinar sua busca, aplique os filtros desejados (buscar por disciplina, banca, cargo, ano...). Caso deseje excluir os filtros, clique em “Limpar Filtro”.

Para estudar, aplique os FILTROS abaixo:

Leia os TEXTOS 06 e 07 para responder à questão 7.

TEXTO 06

GAROTA DE IPANEMA

Olha que coisa mais linda

Mais cheia de graça

É ela menina

Que vem e que passa

Num doce balanço

A caminho do mar

Moça do corpo dourado

Do sol de Ipanema

O seu balançado é mais que um poema

É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah, por que estou tão sozinho?

Ah, por que tudo é tão triste?

Ah, a beleza que existe

A beleza que não é só minha

Que também passa sozinha

Ah, se ela soubesse

Que quando ela passa

O mundo inteirinho se enche de graça

E fica mais lindo

Por causa do amor (3x)

Por causa do amor (2x)

Ah, se ela soubesse

Que quando ela passa

O mundo inteirinho se enche de graça

E fica mais lindo

Por causa do amor (3x)

Disponível em:.Acesso:08.out.2016.

2017_01_13_5878c0d5ef401.PNG

A partir da leitura e análise dos TEXTOS 06 e 07, julgue as proposições a seguir.

I.A intertextualidade é garantida, sobretudo, pela paródia, no outdoor da Hortifruti, de um

trecho da música “Garota de Ipanema".

II.As imagens utilizadas no segundo plano quebram o caráter intertextual proposto no

anúncio publicitário.

III.O slogan “Entre no ritmo da Hortifruti" ganha sentido a partir do diálogo entre a campanha

e a composição musical.

IV.Não se pode afirmar que há uma intertextualidade explícita, pois não há uma

intencionalidade latente na referência à música de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

V.A intertextualidade com “Garota de Ipanema" não é encontrada na superfície textual do

outdoor, ocorre, portanto, o que se denomina de intertexto implícito.

Estão CORRETAS, apenas, as proposições

Date: 02/06/2018

Intertexto é a relação que há entre os textos. Ou seja, um deles traz elementos que se relacionam com o outro texto.

Com isso a imagem da praia de Ipanema ao fundo (segundo plano) no outdoor + paródia demostram tamanha é a intertextualidade explícita. Isso torna as assertivas II, IV, V erradas.

Date: 02/06/2018

Essa foi difícil mas basta presta atenção a alternativa IV claramente está errada elimina todas as demais que tem essa opção e vejam a V também parece muito contraditória.. então foi assim que eu deduzir.

Date: 02/06/2018

Não achei tão difícil.

Date: 02/06/2018

Significado de Intertextualidade:

É a relação que se estabelece entre dois textos quando um deles faz referência a elementos existentes no outro. Esses elementos podem dizer respeito ao conteúdo, à forma, ou mesmo forma e conteúdo e entre dois textos quando um deles faz referência a elementos existentes no outro. Esses elementos podem dizer respeito ao conteúdo, à forma, ou mesmo forma e conteúdo
Date: 02/06/2018

I.A intertextualidade é garantida, sobretudo, pela paródia, no outdoor da Hortifruti, de um trecho da música "Garota de Ipanema".

Verdadeira. Influência de um texto sobre outro que o toma como modelo ou ponto de partida, e que gera a atualização do texto citado. O segundo texto tomou o modelo do primeiro.

II.As imagens utilizadas no segundo plano quebram o caráter intertextual proposto no anúncio publicitário.

Falsa. As imagens descrevem o ambiente da musica

III.O slogan "Entre no ritmo da Hortifruti" ganha sentido a partir do diálogo entre a campanha e a composição musical.

Verdadeira. Referencia ao ritmo musical

IV. Não se pode afirmar que há uma intertextualidade explícita, pois não há uma intencionalidade latente na referência à música de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

Falsa. Pois há uma intertextualidade explicita. Na intertextualidade explícita, ficam claras as fontes nas quais o texto baseou-se e acontece, obrigatoriamente, de maneira intencional.

V. A intertextualidade com "Garota de Ipanema" não é encontrada na superfície textual do outdoor, ocorre, portanto, o que se denomina de intertexto implícito.

Falsa. Há a ocorrência da intertextualidade explicita. A intertextualidade implícita pedem de nós uma maior capacidade de realizar analogias e inferências, fazendo com que o leitor reative conhecimentos preservados em sua memória para então compreender integralmente o texto lido.

Date: 02/06/2018

lendo com bastante atenção da pra resolver, mas no corre da prova essa questão ficou complicada

Date: 02/06/2018

Resultado de imagem para intertextualidade

Para construir uma bola de futebol, costura-se gomos de um material sintético mais resistente e

leve do que o couro, que era utilizado anteriormente. Para a Copa do Mundo de Futebol de

1970, a Adidas criou o formato que, atualmente, associamos ao de uma bola de futebol. Ele é

composto por gomos com forma de pentágonos e hexágonos regulares, com lados de mesma

medida. São utilizados 20 hexágonos e 12 pentágonos para construir uma bola.

2017_01_13_5878c1cae0c77.PNG

Sabendo que são necessários 25cm de linha para unir dois gomos (um lado de um hexágono

com um lado de um pentágono ou outro hexágono), quantos metros de linha são necessários

para costurar a bola inteira?

Date: 02/06/2018

20 hexágono (6 lados)

12 pentágono (5 lados)

20 x 6 = 120

12 x 5= 60

total= 120+60 = 180 / 2 (dois gomos - 25 cm linhas)= 90 gomos x 25 cm de linhas= 2250 cm (2250/100cm) ou 22,50 m

Date: 02/06/2018

São 20 hexágonos (6 lados) / 12 pentágonos (5 lados).

20 hexágonos x 6 lados = 120

12 pentágonos x 5 lados = 60


120+60 = 180

Pega o 180 e multiplica pelos 25 centímetros ---> 4500

Em seguida, distribui esses centímetros (dividindo) para os 2 gomos = 2250 cm. Que é o mesmo que 22,5 metros

Date: 02/06/2018

Fiz um pouco diferente mas chegou no mesmo resultado:

25 cm cobrem / 2 lados (1 lado hex +1 lado pent) = 12,5 cm para cada figura Hexag/Pentag

então:

Para descobrir quantos centímetros de linha precisa pra cobrir o hexágono usei

12,5 x 6 = 75,0

-> Como são 20 Hexágonos: 75,0 x 20 = 1500,0

Para descobrir quantos centímetros de linha precisa pra cobrir o pentágono usei

12,5 x 5 = 62,5

-> Como são 12 Pentágonos: 62,5 x 12 = 750,0

Somando os dois resultados: 1500,0 + 750,0 = 2250,0

Apesar de ser um caminho mais complicado, não deixa de ser uma alternativa e uma forma diferente de fazer!

Espero q tenha ajudado!



Date: 02/06/2018


Date: 02/06/2018

Some todos os lados:

20 X 6 = 120

12 X 5 = 60

Total: 180 laterais.

Quando vc costura uma lateral automaticamente está ligando ela à lateral de outro gomo. Logo cai pela metade

90 x 25 cm = 2250 cm ou 22,5 m.

;)

O circuito equivalente Thèvenin, em relação aos terminais CD do circuito da Figura Figura

0606, possui tensão e resistência iguais a:

2017_01_13_5878f4460aa80.PNG

No circuito da Figura 07, o sinal na entrada de clock tem frequência igual a 1 kHz. Na saída Q,

o sinal terá uma frequência igual a:

2017_01_13_5878f540549b2.PNG

A respeito da análise de circuitos usando as leis de Kirchoff, considere as seguintes afirmativas: I. A soma algébrica das tensões é igual a zero. II. Apenas os sentidos reais de correntes devem ser usados. III. A soma algébrica das quedas de tensão é igual à soma algébrica das elevações de tensão. IV. Apenas os sentidos convencionais de correntes devem ser usados. V. A soma algébrica das correntes em um nó é igual a zero. Está(ão) CORRETA( S) apenas a( s) afirmativa( s)

Com relação às características presentes nos diversos tipos de diodos, analise as afirmações abaixo. I.O Diodo Túnel é o único tipo de diodo que apresenta região de resistência negativa. II.O Diodo Esaki possui aplicações em osciladores de alta frequência. III.O tempo de recuperação reversa é um parâmetro crítico em diodos voltados a aplicações de chaveamento em alta frequência. IV.O Diodo Gunn não possui camada P, apenas N, possuindo aplicação em osciladores de micro-ondas. V.O Diodo Shchottky não permite comutações rápidas devido ao uso de uma junção metalsemicondutor. Estão CORRETAS apenas as afirmativas que constam nos itens

Leia o TEXTO 02 e responda à questão 2.

TEXTO 02

INFÂNCIA

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.

Minha mãe ficava sentada cosendo.

Meu irmão pequeno dormia.

Eu sozinho menino entre mangueiras

lia a história de Robinson Crusoé,

comprida história que não acaba mais.

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu

chamava para o café.

Café preto que nem a preta velha

café gostoso

café bom.

Minha mãe ficava sentada cosendo

olhando para mim:

– Psiu... Não acorde o menino.

Para o berço onde pousou um mosquito.

E dava um suspiro... que fundo!

Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.

E eu não sabia que minha história

era mais bonita que a de Robinson Crusoé.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Infância. Antologia poética. 59ª ed., Rio de Janeiro: Record, 2007.)

Para uma leitura mais produtiva de um texto, faz-se necessária a análise dos elementos que

concorrem para sua construção e sentido. Partindo dessa ideia, analise as proposições a seguir

acerca do poema de Drummond.

I. Em “Meu pai montava a cavalo, ia para o campo", os verbos “montava" e “ia"

caracterizam a figura do pai como provedora.

II. Na contramão do tempo verbal pretérito imperfeito que apresenta a figura paterna como

provedora e sempre em movimento, a figura materna é apresentada de forma estática,

ratificada pelas expressões “ficava sentada" e “cosendo", denotando ausência de esforço

físico e de aventura.

III. Além da estrutura verbal, que contribui para a construção das lembranças, a escolha dos

substantivos (pai, cavalo, campo, mãe, irmão, mangueiras, história, Robinson Crusoé,

senzala, café, preta velha, berço, suspiro, mato, fazenda) diz muito da significação do tema.

IV. Na segunda estrofe, as ações apresentadas pelos verbos “aprendeu" e “esqueceu", no

pretérito perfeito do indicativo, assinalam algo que passou, que não durou.

V. O emprego dos advérbios “lá" e “longe", juntos, remete à idéia de distância. Essa pode ser

uma referência tanto à impossibilidade de o menino enxergar nitidamente o pai, devido à

extensão da fazenda, quanto à transição temporal: o menino abandona o passado e retorna

ao presente, já como homem.

Estão CORRETAS

Date: 02/06/2018

Aos não assinantes Alternativa E

Date: 02/06/2018

Como na alternativa iv pode ser algo que passou, não durou se aprendeu e NUNCA esqueceu. Ou seja durou muito a aprendizagem.

Date: 02/06/2018

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu

chamava para o café.

Como pode ser a letra E se pelo que dá a entender foi um aprendizado que durou muito tempo?

Na segunda opção está escrito que a figura materna é apresentada como estática com ausência de esforço físico, no entanto a mãe está cosendo, ou seja, costurando, verbo que indica ação .

Date: 02/06/2018

Acabei errando também a questão pelo mesmo motivo, ou seja, pensando friamente, mas se analisarmos a questão:

II. Na contramão do tempo verbal pretérito imperfeito que apresenta a figura paterna como

provedora e sempre em movimento, a figura materna é apresentada de forma estática,

ratificada pelas expressões "ficava sentada" e "cosendo", denotando ausência de esforço

físico e de aventura.


Veremos no enunciado as palavras "na contramão do tempo verbal", ou seja, mesmo que o tempo exprima alguma ação que já ocorreu a apresentação da figura materna é feita de forma estática, como se apenas o pai fizesse alguma coisa.

Date: 02/06/2018

a opção IV não existe a possibilidade de estar correta,mesmo apresentando verbos no passado não indica algo que tenha passado e não durou

Date: 02/06/2018

Segundo consta no site do concurso, o gabarito trocou para a letra A.

Corretas: I, II e V, apenas.

III. Além da estrutura verbal, que contribui para a construção das lembranças, a escolha dos substantivos (pai, cavalo, campo, mãe, irmão, mangueiras, história, Robinson Crusoé, senzala, café, preta velha, berço, suspiro, mato, fazenda) diz muito da significação do tema. - Errado, pois o que confirma o tema "lembranças da infância" são os verbos no pretérito.

IV. Na segunda estrofe, as ações apresentadas pelos verbos "aprendeu" e "esqueceu", no pretérito perfeito do indicativo, assinalam algo que passou, que não durou. - Errado, pois na própria frase a confirmação que permaneceu: "No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu chamava para o café.".

(comentários qconcursos)

Eu ainda discordo considerar a II como correta, vou continuar procurando alguma explicação para entender melhor essa questão.

Date: 02/06/2018

Obrigado Luiza. Eu ainda pensei na possibilidade de não estar correta a I pois o que caracteriza como provedor é:

Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.

Só montar e sair a cavalo não caracteriza. E quanto a mulher estar sem fazer nada enquanto na realidade ela estava cuidando do bebê e cosendo, mostra machismo, desvalorização do trabalho doméstico e maternidade.

Date: 02/06/2018

Com essa questão aprendi que trabalho sentado não há esforço...

2017_11_13_5a0974bcc63d6.png

A respeito da pontuação empregada pelo autor, no TEXTO 01, analise as seguintes proposições.


I.Em “Afinal, na internet, em se tratando de tempo, menos é mais" (3º parágrafo), a expressão “na internet" está entre vírgula por se tratar de um adjunto adverbial deslocado.


II.Poderia ser utilizada, no segundo parágrafo, uma vírgula em vez do ponto que antecede “É utilizada principalmente em salas de bate-papos" sem que isso provocasse desvio às normas de pontuação.


III. No trecho “você terá da agilidade que o mundo online proporciona" (3º parágrafo), deveria existir uma vírgula antes da conjunção “que", pois ela antecede uma oração subordinada adjetiva restritiva.


IV.Em “Com o tempo você vai se acostumando e percebe que, pasmem, ainda é português!" (1º parágrafo), as vírgulas que isolam a forma verbal “pasmem" poderiam ser substituídas por dois travessões.


V.No período “E que raios é "kkk" e por que tem um rosto amarelo mostrando a língua para mim?" (1º parágrafo), poder-se-ia usar um ponto final no lugar do sinal de interrogação por se tratar de uma pergunta indireta.


Estão CORRETAS, apenas, as proposições

Date: 02/06/2018

I - CERTO pois o trecho "na internet" é um ADJUNTO ADVERBIAL de lugar que está deslocado da sua ordem direta.

II - CERTO pois essa oração continua fazendo referência a oração anterior. Podendo, assim, ser trocado por vírgulas e manter o contexto.

III - ERRADO pois se colocar a vírgula estará transformando a oração em EXPLICATIVA.

IV- CERTO. As vírgulas que isolarem qualquer seguimento sempre poderão ser trocadas por "travessões".

V - ERRADO - Mudaria o sentido ao mudar a pontuação de interrogação para exclamação.

Gabarito: B

Leia o TEXTO 05 para responder à questão 6.

TEXTO 05

ANDORINHA

Andorinha lá fora está dizendo:

-Passei o dia à toa, à toa.

Andorinha, andorinha, minha canção é mais triste:

-Passei a vida à toa, à toa.

BANDEIRA, M. Andorinha.José Olympio, Rio de Janeiro, 1966

No poema de Manuel Bandeira, foi utilizado um acento grave indicativo da crase entre a preposição “a" e o

artigo “a". Assinale, entre as alternativas a seguir, a única em que a utilização do acento grave seria

obrigatório na palavra sublinhada.

Date: 02/06/2018

Resposta: D)

Dentre as muitas regras de crase, memorize:

a) "... a vereador ...". Não se utiliza crase antes de palavra masculina.

b) "... a sua mão ...". Não se utiliza crase antes de Pronome demonstrativo.

c) "... a Olinda ...". Se eu vou A e volto DA = crase há! Mas se eu vou a e volto De= crase pra quê?

d) "... assitimos ÀQUELE filme ...". Apesar de filme ser um substantivo masculino, a ocorrência da crase é justificada pela transitidade do verbo assistir. Ora, quem Assiste, assiste A (algo/alguém). Portanto, a junção da preposição A + aquele/a/o = Àquele/a/o, mesmo diante de palavra masculina. Ok?

e) "... a esperar ...". Não se utiliza crase antes de verbo.

Date: 02/06/2018

Aderleno, seria pronome possessivo na b, certo?

Fiquei com duvida se "a bala" teria crase e fui ver:

" O uso da crase torna-se optativo quando se referir a locuções adverbiais que representem meio ou instrumento.
Exemplos:
O marginal foi morto a bala pelos policiais. (Poderíamos dizer que ele foi morto a tiro) "

Date: 02/06/2018

Colega Aderleno

a) a palavra grifada se refere ao trecho: ...vereador foi morto a bala. Não ocorrendo crase pelo substantivo masculino morto.

b) "sua" é pronome Possessivo feminino. Sendo facultativo o uso da crase.

No restante, ótima explicação.

Força, Guerreiro!

Date: 02/06/2018

Resposta correta "D", justificativa: Regência do verbo assistir, que exige preposição "a", mais a palavra (pronome demonstrativo), "aquele", e quanto à crase, também observa-se que é empregada diretamente na palavra, "àquele", por já se iniciar pela vogal "a".

Date: 02/06/2018

b) Minha filha, quero que você entregue a sua mão a alguém que mereça

Neste caso, o uso de crase antes de "sua" não é facultativo porque "a sua mão" é o objeto direito, portanto o termo regente não exige preposição. O verbo entregar é TDI: quem entrega, entrega algo a alguém. Por isso "alguém" é seu OI. Aí sim tem preposição, mas não tem artigo antes do pronome alguém.

Date: 02/06/2018


Date: 02/06/2018

Só complementando o colega : 'AQUELE'' é pronome demonstrativo , portanto é errado falar que ele e substantivo e também errado falar que não se usa crase antes de pronome demonstrativo.. Bons estudos a todos colegas

Date: 02/06/2018

Resposta letra (d). Justificativa: Substitua os demonstrativos Aqueles(s), Aquela(s), Aquilo por A este(s), A esta(s), A isto; mantendo-se a lógica, haverá crase. Ex.:Ele fez referência àquele aluno ou a este aluno. Não entregarei isso àquela turma, ou a esta turma. Professor Zambeli.

Date: 02/06/2018

Que Deus abençoe cada um.

Date: 02/06/2018
Vamos lá:

a)Nas últimas eleições em Guapimirim, no RJ, um candidato a vereador foi morto a bala. (não é obrigatório pois não tem nenhum termo pedindo a preposição A. Alguém foi o quê? morto. A facada, a bala não importa. Não tem preposição.

b) Minha filha, quero que você entregue a sua mão a alguém que mereça! (antes de pronome possessivo - sua - a crase é FACULTATIVA, salvo se o pronome tiver função de pronome substantivo, ou seja, o pronome não está indicando posse e sim retomando algum termo: Gosto da bolsa dela, mas não da sua (bolsa). Portanto, NÃO É CASO OBRIGATÓRIO e, sim, FACULTATIVO.

c) No dia em que ela chegou de João Pessoa, nós fomos a Olinda, ao Alto da Sé. (não se usa crase em termos masculinos ou que não aceitam o artigo. Logo: quem vai a Olinda, volta de Olinda. Salvo, se a Olinda em questão fosse especificada, aí, sim, poderia ser usado a crase, porque não seria qualquer Olinda, mas uma Olinda específica. Portanto, NÃO É CASO DE CRASE.

d) Assistimos aquele filme premiadíssimo no último final de semana. (quem assiste, assiste (vê) A algo - exige preposição. O pronome demonstrativo aquele, já possui o A. Logo preposição : assistimos àquele (a + aquele) filme.

e)Passei o dia inteiro a esperar por ti, agora que chegaste, temos que conversar. (antes de verbo, NÃO SE USA CRASE!! Se for verbo, NÃO PODE CRASE!!!).


Gabarito: LETRA D!

Date: 02/06/2018
  • a)Nas últimas eleições em Guapimirim, no RJ, um candidato a vereador foi morto a bala.
  • b)Minha filha, quero que você entregue a sua mão a alguém que mereça!
  • Observação: é facultativo o uso da crase diante de pronomes possessivos femininos porque é facultativo o uso do artigo.
  • Diga a sua irmã que estou esperando por ela.
    Diga a seu irmão que estou esperando por ele.
    Diga à sua irmã que estou esperando por ela.
    Diga ao seu irmão que estou esperando por ele.

  • c)No dia em que ela chegou de João Pessoa, nós fomos a Olinda, ao Alto da Sé.
  • quem vai a.... volta de... crase pra quê?
  • d)Assistimos aquele filme premiadíssimo no último final de semana.
  • assistir = ver. Assistimos a + alguma coisa
  • e)Passei o dia inteiro a esperar por ti, agora que chegaste, temos que conversar
  • ANTES DE VERBO NÃO TEM CRASE
Date: 02/06/2018

Para mim esta questão seria passível de anulação, visto que a opção A estaria correta, visto que à bala é uma locução feminina.

exemplo:

recebeu a bala (alguém ganhou uma bala, um doce ou alguém levou um tiro?) para evitar ambiguidade, usa-se a crase.

Date: 02/06/2018

Eu me confundi todo com a Letra A...

morto a bala ? não seria morto á bala...

alguém pode explicar ?

Date: 02/06/2018

A letra "A" esta incorreta porque não se usa crase em expressões adverbeiais de instrumentos.

Date: 02/06/2018

usa-se crase em expressões de modo e circunstância, principalmente quando há a possibilidade de ambiguidade. Eu também acho que deveria ser anulada.

...morto à bala. (modo como morreu).

Date: 02/06/2018
corrigindo o comentário do amigo aderlno, pode colocar craseem pronome possessivo sim. exemplo: refiro-me às suas idéias
Date: 02/06/2018

Para saber se nos pronomes demonstrativos Aquele, Aquela e Aquilo usa crase basta substitui-los respectivamente por "A este, A esta e A isto", se for possível substituir então terá crase.

na Alternativa D : Assistimos aquele filme premiadíssimo no último final de semana.

substituindo: Assistimos a este filme....

Date: 02/06/2018

a questão ficou estranha

o vereador foi morto como? a bala

adjunto adverbial de modo acho que cabe crase ai

Date: 02/06/2018

"a bala" é locução adverbial de modo ou instrumento?

Durante a realização do primeiro turno eleitoral de uma capital da Região Nordeste, que contava, inicialmente, com 8 candidatos, apenas os candidatos X e Y, os mais votados, obtiveram, respectivamente, 49% e 24% do total dos votos válidos. Suponhamos que para o segundo turno o número de votos válidos se manteve o mesmo e os eleitores que votaram inicialmente em X ou Y, mantiveram suas opções. Para obter um número de votos válidos maior do que a metade e vencer o segundo turno, o candidato Y deve conquistar um percentual dos eleitores que, no primeiro turno, votaram nos demais candidatos excluídos. Qual o valor aproximado dessa percentagem?

Date: 02/06/2018

Tendo em vista que os candidatos X e Y somam 73% dos votos, restam apenas 27% para os demais concorrentes.

Assim, para o candidato Y conseguir a maioria dos votos no segundo turno e vencer as eleições, deverá conquistar a maior percentagem possível dos votos remanescentes, visto que ele possui e continuará possuindo 24% dos votos, seria ideal que ele adquirisse 100% dos votos restantes (no caso 27% dos outros candidatos) assim ele conquistaria 51% dos votos válidos no segundo turno; como o enunciado não permite tal opção, a alternativa E é a que mais se aproxima do 100%.

Date: 02/06/2018

Primeiramente o enunciado faz a seguinte colocação:

De 8 candidatos, 2 possuíram respectivamente 49% e 24% (x e y)

Então, já temos a seguinte posição ( a mesma que irá se repetir no 2° turno)

x = 49%

y = 24%

E o restante (que dá o total de 100%)

100% = r + 49% +24%

r = 100 - 49 - 24 = r = 27% (Esse valor será utilizado como parâmetro para a resposta)

No segundo turno, segundo o texto, o candidato y precisará de maior do que a metade, isto é, mais do que 50% da votação geral, portanto:

24% + y > 50

y > 50-24

y > 26%


Sabemos agora então que o candidato precisa de 26% a mais de votos comparado ao 1° turno.

A partir disso, ele precisará de pelo menos 26% dos 27% dos outros candidatos do 1° turno.

Aplica-se então, a regra de três:

27 - 100%

26 - x

Fazendo a isolação do x

x = 2600/27

x = 96,3%

Alternativa E


A resposta ficou longa porque tento detalhar o máximo possível para todo mundo entender.

Espero ter ajudado

Bons Estudos


Date: 02/06/2018

Também fui por aproximação, 96,3% não garante ao candidato Y a vitória, pois ficaria um eleitor sem votar, podendo haver empate caso esse eleitor votasse em X.